“Se já não tens felicidade a me dar… Muito bem: dai-me teu tormento.” (Lou Andreas-Salomé)

HINO À VIDA (1881)
de Lou Salomé

Tão certo quanto o amigo ama o amigo,
Também te amo, vida-enigma
Mesmo que em ti tenha exultado ou chorado,
mesmo que me tenhas dado prazer ou dor.

Eu te amo junto com teus pesares,
E mesmo que me devas destruir,
Desprender-me-ei de teus braços
Como o amigo se desprende do peito amigo.

Com toda força te abraço!
Deixa tuas chamas me inflamarem,
Deixa-me ainda no ardor da luta
Sondar mais fundo teu enigma.

Ser! Pensar milênios!
Fecha-me em teus braços:
Se já não tens felicidade a me dar
Muito bem: dai-me teu tormento.

* * * * *

PRIÈRE À LA VIE
(Trad. Dominique Miermont e Brigitte Verne)

“Certes, comme on aime un ami
Je t’aime, vie énigmatique
Que tu m’aies fait exulter ou pleurer,
Que tu m’aies apporté bonheur ou souffrance.

Je t’aime avec toute ta cruauté,
Et si tu dois m’anéantir,
Je m’arracherai de tes bras
Comme on s’arrache au sein d’un ami.

De toutes mes forces je t’étreins!
Que les flammes me dévorent,
Dans le feu du combat permets-moi
De sonder plus loin ton mystère.

Être, penser durant des millénaires!
Enserre-moi dans tes deus bras:
Si tu n’as plus de bonheur à m’offir
Eh bien – il te reste tes tourments.”


Este poema “impressionou profundamente” a Nietzsche, que compôs uma música para acompanhar o “Hino à Vida” de Lou. “Por sinal, a única composição musical que ele decide imprimir e publicar”, como aponta Maria Cristina Franco Ferraz em seu excelente “O Bufão dos Deuses” [http://bit.ly/TipJC2].

* * * * *
Friedrich Nietzsche“Hino à Vida”
[“Hymnus an das Leben”]
Partitura da música completa: http://bit.ly/Ra8SR0
Assista/escute com orquestra: http://youtu.be/FIOIUlDB5yU

Sobre www.acasadevidro.com

Plugando consciências no amplificador. Professor de Filosofia no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG). Documentarista independente.

2 pensamentos sobre ““Se já não tens felicidade a me dar… Muito bem: dai-me teu tormento.” (Lou Andreas-Salomé)

  1. […] chega a surpreender, sendo Nietzsche o filósofo que mais intensamente se envolveu com música e tendo sido ele próprio um (modesto) compositor.” (SOUZA, P.C. Posfácio à “Assim Falou Zaratustra”. São Paulo: Ed. Cia das Letras, […]

    Curtir

  2. chicoary disse:

    Reblogged this on Crab Log and commented:
    Para quem está curioso sobre o músico em Nietzsche este reblog pode satisfazer.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s